Albergue de Olinda

Rua do Sol, 233, Carmo. Olinda - PE
Fone/Fax: 81 3429.1592 | 81 3439.1913
Situado no sítio histórico de Olinda

Olinda foi fundada em 1535, com a chegada de Duarte Coelho, que do mais alto pico da cidade avistou e falou: - Oh! Linda situação para se construir uma vila, daí o nome Olinda. Principais Monumentos Históricos e pontos de visitação:

Basílica e Mosteiro de São Bento: Construído em 1599, foi o segundo mosteiro beneditino em terras brasileiras. Incendiado pelos holandeses em 1631, teve sua restauração iniciada em 1654. Em 1827 foi criado no Mosteiro a primeira Escola de Direito do Brasil. A Igreja tem apenas uma torre sineira, com o mais sonoro carrilhão de Olinda. Destacam-se a sacristia e o alta-mor da Igreja, obras-primas do barroco brasileiro.

Igreja do Carmo (Santo Antônio do Carmo): É a mais antiga igreja da Ordem Carmelita em terras do Brasil. Foi fundada em 1588, e restaurada em 1720. O Convento da Ordem Carmelita foi demolido no começo do século XX. No primeiro andar da Igreja está instalada a Regional de Olinda do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Igreja dos Milagres (Santa Cruz dos Milagres): Conta-se que houve uma grande seca e um boi pastando nas proximidades, encontrou água que lhe saciou a sede. O povo aceitou como milagre aquele manancial e construiu uma cacimba que ajudou ao abastecimento d`água da cidade. No local, em 1862, foi construída a atual Igreja, uma das mais simples de Olinda.

Igreja de São Sebastião: Fundada como ermida em 1686 em louvor a São Sebastião, invocado no combate a peste que irrompeu em Olinda. Em 1729 foi ampliada, sendo construída sua nave. Esta Igreja é muito marcada pelo pesado estilo comercial português. Um dos seus altares, é móvel, favorecendo a visão do altar primitivo em afresco.

Igreja de São Pedro Apóstolo (Sede da Paróquia de São Pedro de Mártir): Foi inaugurada no final do século XVIII como Igreja de São Pedro Novo. A devoção já existia em 1711, na Igreja de São Pedro Velho, o Mártir, no alto da Ribeira, que foi desturída . Reformas modificaram suas características originais.

Igreja da Sé (Igreja de São Salvador do Mundo): Fundada como paróquia por alvará trazido por Duarte Coelho, de 1534, sob a invocação de Nosso Senhor do Salvador do Mundo. Em 1540 era de taipa. Em 1584 estava em obras, tornando-se de alvenaria e matriz de três naves com capelas laterais. Tornou-se Catedral em 1677. Desde 1918 é a Catedral do Arcebispado de Olinda e Recife. No terraço lateral há um excelente mirante.

Igreja da Boa Hora (Nossa Senhora da Boa Hora): O primeiro centenário desta Igreja foi comemorado em 1860. Primeiro foi construído um oratório, por volta de 1750. A data de 1807 de sua fachada foi colocada em um de seus sucessivos acréscimos.

Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe (Matriz da Paróquia do Guadalupe): Foi construída entre 1626 - data fachada - e 1629, quando Portugal estava sob domínio Espanhol, o que explica a devoção aos homens pardos, índios e mestiços, libertos ou escravos.

Igreja de São João Batista dos Miltares: Construída como ermida na década de 1570, abrigava as corporações que procuravam se instalar na vila. Escapou ao incêndio dos holandeses, mas em 1733 foi destruída por outro incêndio. Destaca-se nesta Igreja o precioso nicho em madeira, na sacristia.

Igreja do Amparo (Nossa Senhora do Amparo): Fundada por mancebos solteiros e músicos entre os anos de 1550 e 1560 foi parcialmente destruída pelos holandeses em 1631. A data da fachada, 1644, marca sua reconstrução. Dois painéis de madeira compõem os altares laterais: a esquerda, o Cristo, à direita, a padroeira dos músicos, Santa Cecília. Sua última restauração, concluída em 1992, fez aflorar o colorido barroco de seus altares e, acima do arco-cruzeiro, painel de azulejos franceses.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos: Em 1702 a igreja já estava construída pois neste ano ali instalava-se um hospício para moradia dos catequizadores. Recentemente em 1998, passando por restauração, foram descobertas pinturas que imitam pedras preciosas (arco-cruzeiro) e o marmorizado dos altares de madeira das Igrejas mais ricas da cidade.

Igreja da Misericórdia: A Igreja de Nossa Senhora da Luz e a Santa Casa de Misericórdia foram construídas em 1540. Em 1630 a Igreja foi saqueada pelos holandeses e incendiada, tendo sido restaurada em 1654. Contígua à Igreja está a Academia Santa Gertrudes, um colégio fundado em 1912, pela Associação de Instrutoras Missionárias. No Interior da Igreja há preciosidades em talha, como o púlpito e o forro em caixotão.

Convento de São Francisco: O conjunto é formado pela Igreja de Nossa Senhora das Neves, a Capela de São Roque, o claustro de azulejos e a sua magnífica sacristia. É o convento franciscano mais antigo do Brasil, começou a ser construído em 1585. Destruído parcialmente pelos holandeses, foi reconstruído a partir de 1650. Merece destaque a preciosa Capela do Capítulo, considerada exemplar do antigo Convento. Cruzeiro de São Francisco - Situado frente ao Convento São Francisco, o cruzeiro completa o conjunto arquitetônico. Trabalhado em pedras retiradas dos nossos arrecifes.

Igreja Nossa Senhora da Graça e Seminário de Olinda: Registra-se que em 1545, onze anos após a fundação da Companhia por Santo Inácio de Loiola, os jesuítas já teriam visitado Pernambuco e em 1551 a Igreja estava em obras. O Colégio Real dos Jesuítas já existia em 1576. Funcionou o Colégio Arquidiocesano e o Seminário da Arquidiocese até 1965, retomado a partir de 1991.

Igreja do Monte (Igreja e Mosteiro de Nossa Senhora do Monte): Fundada como ermida, em 1596 foi doada aos beneditinos que construíram ali o primeiro Mosteiro de São Bento até sua transferência definitiva para o largo de São Bento. Hoje abriga a Abadia das monjas beneditinas que vendem no local, biscoitos caseiros, licores e cartões artísticos.

Igreja da Conceição (Convento de N. Sº da Conceição): Construido no final do século XVI, é um dos mais antigos conventos de freiras do Brasil. Conta-se que foi feito pela leiga Dona Maria da Rosa, para recolher e educar as moças que aqui chegavam e as índias. Atualmente é o Recolhimento das Irmãs Dorotéias.

Igreja do Senhor Bom Jesus do Bonfim: 1758 é considerada sua data de fundação. Em sua fachada estão as datas 1751-1757. Antes, havia um nicho ou oratório de pedra com um painel do Senhor do Bonfim colocado ali por uma família em frente à sua própria casa.

Seminário de Olinda: Um conjunto arquitetônico do século XVI, um dos pontos mais altos da cidade que seu pátio destaca um belo mirante onde se podem ter fantásticas vistas da cidade.

Museu de Arte Sacra: Antigo palácio episcopal, construído no século XVII, com grande com um grande acervo entre pinturas e esculturas de arte do século XVI e XVII.

Quatro Cantos: Descendo a ladeira da Misericórdia, chegaremos ao principal foco carnavalesco de Olinda, onde se encontra museu dos bonecos gigantes de Olinda.

Mercado da Ribeira: Construído entre os Séc. XVII e XVIII, era utilizado como mercado de escravos onde atualmente os antigos calabouços funcionam como lojas de galeria de arte e de artesanato. No outro lado da rua encontra-se as ruínas do antigo Senado, onde Bernardo Vieira de Melo deu, em 1710, o primeiro grito pela independência do Brasil.

Palácio dos Governadores: Construído no Séc. XVII, foi utilizado no começo como Paço da Assembléia Constituinte e Legislativa da Confederação do Equador, atualmente é sede do Poder Executivo de Olinda.

Mercado Eufrásio Barbosa: Encontra-se instalado na antiga fábrica de doces Amorim Costa. Inaugurado no Séc. XX, no seu interior destacamos postos de artesanato, área para shows e eventos.